Reflexão do Evangelho- 08/11/2020



08.11.2020. 32º DOMINGO DO TEMPO COMUM

 Sabedoria 6,12-16; Salmo 62; 1Tessalonicenses 4,13-18; Mateus 25,1-13

HÁ SÁBIOS E HÁ ESTULTOS 

Conta-se que SANTO HENRIQUE, que foi imperador da Alemanha (+1014), tinha 23 anos quando teve um sonho em que seu mestre, São Wolfgang, que havia falecido dias antes, apareceu para ele, e escreveu na parede do seu quarto: “DEPOIS DE SEIS”.

Primeiramente, S. Henrique pensou que a mensagem era um aviso de que morreria em SEIS DIAS.  Isso fez com que se penitenciasse para se purificar e, assim, se entregar a Deus. Passaram-se seis dias e não aconteceu nada. Depois disso, ele pensou que tinha interpretado erradamente a mensagem, e voltou as fazer penitência e oração por SEIS MESES. Passados os seis meses, novamente não aconteceu nada.

Então, S. Henrique pensou que, na verdade, ele teria seis anos restantes, e continuou com sua penitência e oração. Passaram-se SEIS ANOS. Aí aconteceu que, passados seis anos, S. Henrique era rei da Alemanha. E estava espiritualmente preparado para não se deixar levar pelas pressões do materialismo. Enquanto rei, foi o responsável pela reforma do governo, dos mosteiros, do clero, construiu igrejas, promoveu a fé. Seu governo foi exemplo de honestidade moral.

(Não deixa de ser uma advertência... em vésperas de eleição, neste 2020.)

A parábola de Jesus, proclamada neste domingo, talvez possa ser entendida desse jeito. Não sabemos a hora em que o “esposo” chega. E por isso temos que ficar acordados, não relaxar na expectativa da “vinda do Senhor”. Cultivar a fé, “não deixar faltar o óleo, e assim manter as làmpadas acesas”, como prometemos no dia do batismo, ao recebermos a vela acesa.   

O Senhor pode vir na hora em que menos esperamos. Lembremos um santo celebrado no dia 10 de novembro: Santo ANDRÉ AVELINO (+1608). Grande defensor da fé católica. Foi perseguido pelos agnósticos (os que não querem saber de religião) e sectários, e ameaçado de morte. Morreu repentinamente, aos 88 anos, ao iniciar a Santa Missa. Havia acabado de pronunciar as primeiras palavras, segundo o rito latino de então: “Entrarei no altar de Deus” (e o coroinha respondia: “De Deus que alegra a minha juventude”). 

Recolheram sangue deste S. André Avelino, em ampola e, três anos depois, o sangue se liquefez, e voltou a se tornar líquido em várias outras ocasiões, especialmente no aniversário da morte.  Foi visto em ebulição, liquefazendo-se total ou parcialmente, rápida ou lentamente. Ainda muitos anos após a morte, o sangue estava líquido, vermelho, nas veias (Pe. Quevedo, Os milagres e a ciência, p.693).

“Está estabelecido que os homens morram apenas uma vez” (Hebreus 9,27). Não há "reencarnação" após a morte" (Catecismo da Igreja Católica 1013). Religião revelada existe uma só. Caminho de salvação existe um só. Ninguém conhece outro. 

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Pedidos de Orações.

Av. Paraná, 5440 - Vila A - TEL:(45) 3524-4000