CATEDRAL NOSSA SENHORA DE GUADALUPE: HISTÓRIA  DA OBRA

A palavra Catedral vem de “Cátedra”, ou cadeira pontifícia, sede de uma diocese. É a Igreja principal de um Bispado.

A Catedral Diocesana Nossa Senhora de Guadalupe, a nova Catedral de Foz do Iguaçu, teve sua pedra fundamental abençoada no dia 26 de junho de 2003.

O projeto arquitetônico foi de Emilio Benvenuto Zanon e a construção começou em 1º de maio de 2004, com a colocação da primeira pá de cimento e montagem do canteiro de obras.

Um ano depois já estava de pé um pequeno oratório em honra a Nossa Senhora de Guadalupe, chamada de “Ermida”, um pequeno espaço para atender à devoção dos fiéis, que recebeu a benção de Dom Laurindo Guizzardi, em 1º de maio de 2005.

Em 2010 a comissão da obra Catedral contrata a empresa Beton Steel para colocação da estrutura metálica e do telhado da nova Catedral. Começava a tomar a sua forma um dos mais belos e significativos monumentos arquitetônicos de Foz do Iguaçu.

A OBRA AVANÇA, COM O APOIO DA COMUNIDADE

A casa paroquial foi concluída em  2013  e no ano seguinte já estava pronta também a secretaria paroquial.  

Em outubro de 2015 foi inaugurada a Capela do Santíssimo que tem capacidade para 120 pessoas, em dezembro do mesmo ano é concluída a colocação dos vidros de proteção.

Em 2016 foi concluída a Cripta, espaço destinado ao sepultamento dos sacerdotes e bispos. Em fevereiro de 2017, Dom Dirceu Vegini (bispo atual) deu a benção no local e os restos mortais de Dom Olívio Aurélio Fazza (1º bispo da Diocese de Foz), foram trazidos para a cripta. Também foi sepultado o bispo Diocesano Dom Dirceu Vegini em 01 de outubro de 2018.

A sala de recepção para os turistas e a segunda parede da Nave Central foram entregues em 2018. A próxima etapa será a parte elétrica, hidráulica e ar condicionado da Nave Central que irá compor um ambiente com capacidade para receber, com todo conforto, mais de 1.200 fiéis.

O SENTIDO ESPIRITUAL DA OBRA

A Catedral Diocesana Nossa Senhora de Guadalupe fortalece a devoção à padroeira da América Latina, em uma região centralizada em Foz do Iguaçu, cidade de três fronteiras, principal ponto de contato privilegiado entre diversas culturas e tradições.

A construção moderna, mistura nas janelas inferiores e nas colunas (ainda não acabadas) um estilo gótico, com arcos, e no telhado uma estrutura moderna em armação metálica.

A própria estrutura já é uma obra de arte. Projetada em cima do formato de uma Cruz Grega ou seja uma cruz reta com todos os braços de mesmo tamanho. Em meio à cruz encontra-se o Círculo, sinal da perfeição e da eternidade de Deus. Sinal também da grande Aliança de Amor de Deus com a humanidade.

Localiza-se na Vila A, um dos pontos mais altos da Cidade de Foz do Iguaçu, referindo a todo o significado do Monte, da literatura bíblica: Moises recebe os 10 mandamentos no Monte Sinai, Jesus sempre que sai para rezar sobe o monte (das Oliveiras, das Bens Aventuranças). Monte é o lugar próximo de Deus.

A igreja tem três portas iguais simbolizando a igualdade dos três povos que vivem aqui na tríplice fronteira. Cada uma delas, representa um povo: brasileiros, paraguaios e argentinos.

A LUZ DA SALVAÇÃO

No presbitério se celebra a presença real de Cristo, sol que ilumina a vida da Igreja Católica ou, nas inspiradas palavras de Dionísio Areopagita: “O Sol, especialmente, possui a significação e a imagem de Deus. Pela porta maior penetra a glória do Senhor nos templos. O presbitério, lugar onde se encontra o altar é a parte central da Igreja, tem um formato arredondado, sendo a representação de Cristo Cabeça de toda a Assembleia reunida.

O TELHADO COBERTO DE SIGNIFICADOS

No telhado temos três níveis: O primeiro com o formato do manto de Nossa Senhora, tendo uma leve curvatura como se envolvesse o próprio rosto de Maria.

No segundo nível temos uma ondulação trazendo dois significados: em primeiro lugar em forma de uma Estola e em segundo reporta-nos as quedas das Cataratas do Iguaçu, maior presente de Deus dado a esta terra maravilhosa de Foz do Iguaçu.

No terceiro nível encontramos uma Coroa, tendo como significado, em primeiro lugar a simbologia de Cristo Rei do Universo (por isso tem a Cruz sobre a mesma) e em segundo, a grande devoção católica a Maria, Rainha do Céu e da Terra.

Todos os três níveis têm quatro lados, simbolizando os quatros Evangelistas.  Todos têm uma elevação, de dentro para fora, que projeta a Palavra que dentro da Igreja é proclamada por todos os quatro cantos do mundo e para todo o mundo. “Expandem o Evangelho e a presença de Deus para todos os lados e para o mundo! ”.

E como ponto mais alto de toda a Igreja, acima do telhado, encontramos a torre com o símbolo Cristão, a Cruz: Sinal da Salvação e libertação dado por Cristo. A torre com a Cruz é a característica principal de identificação das Igrejas Católicas: “E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.” Lucas 9,23 e também: “Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós Cristãos, que somos salvos, é o poder de Deus.” 1º Coríntios 1,18 .

                No pátio da Igreja temos uma Ermida com uma réplica da imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, local eregido com material sólido e artístico. Devidamente ornado para a Oração e a prática da Devoção a Nossa Senhora.

VITRAIS

Os Vitrais irão representar os quatro evangelistas e os elementos da natureza: terra, água, fogo e ar.

 

Evangelista Mateus: Anjo

Elemento água, Nascimento de Jesus

Evangelista Lucas: Touro

Elemento terra, Morte de Cristo

Evangelista Marcos: Leão

Elemento fogo, Ressurreição de Cristo

Evangelista João: Águia

Elemento ar, Ascensão de Cristo

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

NAVE CENTRAL

Altura externa do piso até a Cruz: 46m

Altura interna do ponto mais alto da nave: 26m

Área interna da nave: 1.100,00 m²

Capacidade: 1.300 pessoas

Área do Presbitério (altar): 225m²- (capacidade 40 pessoas)

CAPELA DO SANTÍSSIMO

Área da Capela: 180 m²

Capacidade: 120 pessoas

Pedidos de Orações.

Av. Paraná, 5440 - Vila A - TEL:(45) 3524-4000